quinta-feira, 5 de Janeiro de 2012

resumo da 30ª assembleia


Esta última assembleia serviu como um ponto de situação do projeto e teve bastante participação da comunidade, contrariamente ao que se tinha registado nas assembleias anteriores. Começou-se por enumerar as atividades que correram bem ao longo dos meses, e as potencialidades deste espaço físico para vários projectos. Foi apontada a necessidade de falar sobre os aspetos negativos para se poder melhorar o funcionamento do projeto.

Entre os aspetos mais negativos do processo, focou-se a falta de participação nas Assembleias (por vezes reduzida a 8-10 elementos), a diminuição do número de pessoas que ajudam a dinamizar o espaço e do mau ambiente criado por conflitos pessoais que desgastaram as relações na comunidade Es.Col.A. A diminuição do número de pessoas provocou um aumento da responsabilidade e de pressão num pequeno grupo de pessoas que não é sustentável a longo termo. A posse das chaves é também um encargo demasiado grande para manter em poucas pessoas, tendo-se decidido fazer algumas cópias para distribuir essa responsabilidade por um maior número de pessoas. A este respeito, fez-se uma colheita de donativos pelos participantes da assembleia, havendo já uma pessoa responsável por tirar cópias – o problema está, assim, a ser resolvido (haverá mais 5 chaves para o portão e porta do edifício; as restantes chaves das salas ficarão num chaveiro no interior do edifício).

Referiu-se também que estamos no Es.Col.A porque queremos trabalhar em grupo e que, quando há pessoas envolvidas em algo é inevitável (e até desejável) haverem problemas, temos é de aceitar esse facto e tentar arranjar formar de os resolver quando eles aparecem, porque no fim estamos todos a lutar para o mesmo; os aspectos positivos têm sido maiores que os negativos, sendo necessário pensar numa forma de tratar os problemas e de melhorar a comunicação entre as pessoas que têm dinamizado o Es.Col.A.

Foi apontado o facto das aulas de Pilates para seniores nunca terem chegado a acontecer, causando transtornos a alguns vizinhos que se dirigiram ao Es.Col.A para participar nessa atividade programada. Este incumprimento por parte da proponente da atividade afeta o colectivo, o respeito dos outros pelo coletivo Es.Col.A e a imagem que os vizinhos têm deste. É necessário haver responsabilidade individual para haver confiança em novas propostas.

Surgiu uma nova proposta de atividade: uma oficina de animação – uma curta ou um stop-motion nos muros do Es.col.a. Esta atividade foi aprovada e acontecerá em Janeiro, destinada a qualquer interessad@s), de qualquer idade.
Há também uma proposta para a passagem de ano: atividades diversas durante a tarde + festa de anos de um miúdo que frequenta o Es.Co.A. Estende-se o convívio até às 12 badaladas. Resposta positiva do grupo da cozinha que tem respigado alimentos no mercado abastecedor e entregado os doces confecionados no Es.Col.A e as folhas de notícias. Os comerciantes têm valorizado bastante o projecto Es.Col.A. Foi feito um apelo às pessoas do bairro para participarem na próxima recolha de alimentos – a ida ao mercado para a festa será feita na próxima sexta-feira e o ponto de encontro é no Es.Col.A ás 17h00.

As Searas do Canto reúnem-se na próxima segunda (2 de janeiro) para ensaiar e cantar as Janeiras pelo bairro. Ficou também a expressa a vontade de se organizarem novos concertos.

A responsabilidade da facturação da Internet ficou tratada.

O grupo de reconhecimento e levantamento de necessidades do bairro não tem estado a funcionar: é necessário reformular este grupo para se perceber se estamos a responder às necessidades das pessoas do bairro, podendo o grupo servir para estender a ideia da auto-gestão com que se gera o Es.Col.A para fora dos seus portões, tentando estar atento ao que se passa no bairro, apoiando a população para esta ser ouvida no que toca a decisões que vão alterar o funcionamento do bairro ou a arquitectura deste. Reconheceu-se que não basta bater porta-a-porta e perguntar aos moradores o que eles necessitam, pois nem todas as pessoas se sentem "à vontade" para falar abertamente num primeiro contacto. É importante que o Es.Col.A se envolva no que acontece no bairro, desde o abate das árvores do largo pela CMP até ao buraco da estrada na rua ao lado. O Es.Col.A deve estimular a discussão no bairro dos assuntos que dizem respeito ao bairro e apoiar os moradores a fazerem-se ouvir. Falou-se do abate das acácias do Largo da Fontinha pela CMP já que nem os moradores, nem a própria junta de Freguesia tiveram conhecimento das razões que motivaram o tal abate. Sobre este assunto ficou decidido que se vai redigir um texto a publicar na próxima folha de Notícias.

O próximo jantar temático ficou marcado para dia 6 janeiro com o tema "Ser o bairro" e a assembleia geral para dia 10 de janeiro.

Sem comentários: