quarta-feira, 11 de maio de 2011

vieram mais de 100...


10 de Maio, 18h30, Largo da Fontinha

O dia que começara com repressão acabou em democracia. Numa assembleia com mais de 100 pessoas, entre as quais um número emocionante de vizinhos não menos emocionantes nas suas palavras de apoio, começou por se falar do despejo matinal, partilhando experiências de quem o viveu.

Mas a parte mais importante, a que realmente chamara ali tanta gente, era a de decidir o que fazer a seguir. As propostas foram muitas: tentativa de legalização da situação de uma eventual nova ocupação do espaço, a sua reocupação nos mesmos moldes, a participação na Assembleia Municipal da próxima segunda-feira, uma campanha o mais alargada possível de denúncia, uma queixa judicial, a necessidade de angariar apoios de "notáveis", o pedido de cedência doutros espaços para as actividades, uma assembleia extraordinária da Assembleia de Freguesia. Aceitou-se a proposta de, nesse fim de tarde, falar apenas de três dessas ideias: a da participação na Assembleia Municipal do Porto, a da via da queixa judicial (contra o despejo, contra a actuação particular da polícia... está tudo ainda em aberto) e a da reocupação do espaço.

A próxima Assembleia Municipal do Porto realizar-se-á na segunda-feira, dia 16 de Maio, pelas 21h00. Decidiu-se que algumas pessoas deveriam participar na própria Assembleia Municipal e que todas as outras deveriam ter uma presença visível no exterior do município. As pessoas que vão participar na assembleia ficaram de se coordenar nesse sentido e as que vão apoiar a partir de fora marcaram encontro de conversa e trabalho (pintar faixas, decidir palavras de ordem, ver a possibilidade de levar algumas actividades da Es.Col.A para a porta da Câmara, etc.) para a próxima quinta-feira, 12 de Maio, no Largo da Fontinha, a partir das 18h30.

Há uma pessoa a tratar da questão legal relacionada com a eventual queixa que se possa apresentar. Todas as pessoas interessadas trocaram contactos e ficaram de se coordenar.

Dada a vontade geral de que o espaço da Es.Col.A seja reaberto, ficou marcada uma assembleia para discutir esse ponto em particular. Será na terça-feira, 17 de Maio, às 18h30, no Largo da Fontinha.

Mas a assembleia estava longe de acabar, que a democracia tem destes truques que lhe permitem ser real e a vontade das pessoas presentes não era ser vencida pelo medo da força bruta. As actividades da Es.Col.A. não acabariam por causa de um despejo. Apesar de não ser possível garantir que todas as actividades se mantêm (não estavam presentes pessoas que coordenam algumas dessas actividades), ficou a ideia de contactar toda a gente que as desenvolva para saber da sua disponibilidade, ao mesmo tempo que se garantia que algumas se realizariam sem qualquer dúvida.

Entre estas, ficaram o Hacklaviva - 5ª-feira, 12 de Maio, 18h00; o Jantar da Fontinha, transformado em merenda autogestionada (naquela do traz comida se quiseres comer) – 6ª-feira 13, às 19h30; e actividades ao ar livre - 2ª-feira, dia 6, às 18h30.

Assim, as próximas datas são:
- 12 de Maio, 5ª-feira, largo da Fontinha: 18h00 - hacklaviva; 18h30 - reunião para preparar participação na Assembleia Municipal
- 13 de Maio, 6ª-feira, 19h30 - merenda autogestionada no largo da Fontinha.
- 16 de Maio, 2ª-feira, 18h30 - actividades ao ar livre no largo da Fontinha.
- 16 de Maio, 2ª-feira, 21h30 - participação na Assembleia Municipal (dentro e fora). Na Câmara Municipal do Porto.
- 17 de Maio, 3ª-feira, 18h30 - Assembleia da Fontinha sobre a questão da reocupação. No largo da Fontinha.

A Câmara do Porto mandou fechar e emparedar a ES.COL.A

9 comentários:

M. disse...

Vocês são excepcionais, é tudo o que tenho a dizer!
Um abraço,
Madalena

Novas Economias disse...

Quanto mais muros erguerem à nossa frente mais força nos dão para os derrubar.

Pó de Estrela disse...

Aqui se vê os valores que nós defendemos!!!! Não estive convosco , mas não parei de pensar em todos nós! Sábado regresso.

Viva a ES.COL.A.

Beijos Quica

Pedro Ferro disse...

Força com isso!

Pedro Ferro disse...

Seria talvez positivo colocarem um daqueles "botões" no blog que permita partilhar o mesmo no facebook, assim conseguiriam com certeza um apoio mais generalizado à vossa causa!

Pedro Pinto disse...

Não há nada como fazer as coisas legalmente para não ter a polícia a bater-nos à porta...
E não duvido que as intenções sejam boas.

Queimada Viva disse...

olá, boa tarde!
O meu nome é Patrícia Guerra e a vossa noticia deixou-me a ferver!
Quero encontrar-vos e apoiar neste projecto. É uma iniciativa com a qual me identifico e pela qual quero lutar também. Eu e mais um grupo fizemos o mesmo em Guimarães vai fazer um ano, de teor diferente mas de encontro ao vosso. Também limpamos uma fábrica de 3 andares para abrirmos ao público com exposição,workshops,concertos e artesanato.Tivemos a coisa mais facilitada porque o espaço foi cedido pelo nosso senhorio de casa na altura. As coisas morreram e o impacto foi pouco, infelizmente. E agora surgem vocês com um projecto digno de aplaudir! Educação livre! Valorizar o colectivo! Espero encontrar-vos em breve! Amanhã, dia 12 de Maio irei ao largo da fontainha! Até já!

Anónimo disse...

A única pergunta que deixo, é porque é que não falaram com a câmara municipal para pedir aprovação para esse projecto antes de o concretizar?

Pedro Ferro disse...

Anónimo: hoje em dia a burocracia e os burocratas são um empecilho à iniciativa livre, espontânea e democrática. Se respeitas a natureza, respeitas as pessoas e partilhas os excedentes, enfim, quando sabes estar a agir bem, não percas tempo a pedir licença.